Geraldo Luís: Eu e o Gugu há 19 anos, o tempo não é nada…

Posted on outubro 18, 2009 por

0


DSC02905

Geraldo Luís, R7

Bem, eu era um moleque, e o Gugu já era o Gugu, o grande apresentador. Era um final de semana desses feriados em minha cidade, Limeira, interior de SP. Gugu foi contratado para fazer um show na antiga FACIL da cidade, uma feira industrial. Era tudo que eu precisava para chegar perto de meu ídolo. Mas como fazer isto? É agora que começa minha saga:  tirar uma foto ao lado do Gugu.

Mas quem era eu afinal? Só o Geraldo Luis, um repórter policial em início de carreira no rádio do interior, nada mais. Gugu bombava com o programa Viva a Noite, e eu sonhava, ah como sonhava. Gugu era o que eu queria ser sem ter capacidade para ser, imitava ele na frente da TV. E agora uma revelação… Bem, não sei se eu me abro assim, afinal muita gente vai ler isto… Bem… ã (parei cinco minutos, tomei um Yakult).

Ok, vou contar. Sempre aos sábados à noite, quando tocava “É dia de festa, dança sem parar, passarinho quer dançar, seu rabicho… ’’, eu dançava junto com o Gugu e colocava até um terno velho que eu aluguei uma vez e não devolvi. Era tudo pra mim! Cresci junto com o Gugu. Um dia, ele, junto com a Mara Maravilha, foram a um show na praça da minha cidade. Lá estava eu às 7h da manhã. Estava perto do palco. Tentei chegar perto do Gugu, mas não deixaram, até que um segurança com cara de mau me disse: ‘’Eu te levo até o Gugu, 100 cruzados novos e eu te coloco na frente dele!’’. Bem,  só tinha 40 e ele aceitou. Perto de acabar o show, ele me colocou atrás do palco e lá fiquei, fiquei, fiquei… O puto do segurança sumiu e o Gugu também! Desistir jamais! Fui até o hotel onde eles estavam e, ao chegar, vi meu ídolo entrar em uma perua Kombi branca junto com a equipe e a Mara, corri feito louco gritando, “Gugu, gugu, guguuuuuu”! E lá se foi mais uma vez minha chance. Até que chegou este fim de semana que mencionei no começo desta história do blog. Nesse dia, estava junto com um amigo-irmão, o Carlinhos Silva, que era meu sonoplasta na Rádio Jornal de Limeira, e fã de Gugu também. Eu pesava 57 quilos molhado e meu sonho já era trabalhar em TV, adorava teatro. Be,. chega de melodrama, vamos aos fatos.

O local da festa estava lotado, cerca de 10 mil pessoas, chegar atrás do camarim era impossível. Começa o show e o Gugu tá no palco, todo mundo gritando e eu também, ‘Gugu, ó eu aqui, me dá uma chance!’’. E nada do Gugu me olhar. O Carlinhos só reclamava dizendo: ‘’Vamos embora, larga de ser chato, a gente não vai conseguir’’. O Carlinhos sempre foi um reclamão, mas é o único amigo que me aguenta até hoje. A gente não ganhava nem salário mínimo no rádio, oh ‘’perrengue’’… Bem, já era quase final do show, quando eu vi atrás do palco um caminhão de água e alguns funcionários carregando caixas até o camarim. Dentro da cabine do caminhão que estava aberta nós vimos vários coletes escritos ‘‘seguranças’’.  É isso mesmo que você pensou. Roubei os coletes, e vestidos, entramos com as caixas nas costas, e o Carlinhos ainda reclamando…

A hora da verdade. Show terminado, olha eu e o Carlinhos na porta do camarim: ‘Olha a aguáaa’’, e quem abre… Guguuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu. Educadissímo como sempre, pediu para entrarmos e lá joguei as caixas. Quando olho, sentado no sofá esta Gú Bortolan, dono de outra emissora de rádio, a Educadora, na qual Gugu havia trabalhado quando moleque lá em Limeira, lembra, Gugu? Finalmente, eu estava frente a frente com ele, o cara que eu imitava, adorava, mas como sempre acontece a voz não saiu. Tremi. Percebendo meu nervoso, ele mesmo falou para que tirássemos uma foto, e nós tiramos a foto que mais uma vez mostro aqui. O Gugu bem mais magro, já rico, eu magro cada vez mais pobre, e o Carlinhos com cara de ‘Conseguimos filha d…’’. Não me lembro muito, Gugu bebia enquanto eu falava tudo sobre ele, tentei uma gravação para meu programa de rádio mas ele disse que não podia.

Saí de lá feliz, “o Gugu apertou minha mão, um dia eu vou trabalhar pra esse cara”. O tempo passou, e como passou. Do rádio passei pra TV do interior, ganhei fama na região como repórter policial que fui durante 17 anos no interior, Carlinhos passou de sonoplasta a radialista, ganhou seu programa de rádio e foi um sucesso durante muitos anos, se elegeu vereador duas vezes e caminha pra ser um dia prefeito de Limeira. Saímos da miséria, mas nós dois perdemos nossas riquezas, pois nossas mães não veriam nosso sucesso, faleceram no meio deste caminho. Eu engordei, gugu e Carlinhos também.

Passados 19 anos, muita coisa mudou. Hoje eu estou na Record, Gugu também, tenho um programa com meu nome, Gugu também. Quis a vida me ensinar que tudo é possível quando se crê em um Jesus vivo, pois foi ele que me trouxe aqui. Hoje estou na melhor, tô na Record !

geraldo e gugu atual

Posted in: Audiencia E TV