Geraldo Luís fala de Boris Casoy

Posted on janeiro 25, 2010 por

0


Caros internautas, vamos parar de hipocrisia e falar a verdade. Como ser humano que sou, não poderia deixar de demonstrar aqui meu entendimento sobre o caso “Boris Casoy”. Eu conheço gente que não aparece na televisão e nem usa “lapela” (Pequeno microfone preso ao terno usado em TVs) pendurada no peito, mas que todos os dias destila seu veneno falando mal de um irmão, parente ou amigo. Pense comigo quantas vezes eu e você falamos de alguém em tom de calunia, ou simplesmente apontando o dedo como se fossemos juízes de nós mesmos. Deu repercussão porque foi com Bóris. Quanta gente nos descrimina, mas nem ficamos sabendo porque essa gente não usa ”lapela” para nós ouvirmos. Meus queridos, lembrem-se sempre: a boca fala do que está cheio o coração!

Não é um santo quem escreve aqui, nada disso, mas estou falando de humanidade, e isso falta muito nos meios cruéis de comunicação. Em televisão, o que se vê é um amontoado de gente, assim como aí perto de você, somos iguaizinhos. Você que me lê agora, sabia que eu faço cocô? Éhhh.. A TV cria uma força maléfica nas pessoas que não se seguram numa moral de berço e de humanidade. Existe muita gente em que a “lapela” ainda não vazou e que se vazasse você nem acreditaria. Gente que humilha companheiros de televisão, colegas de trabalho que suportam tudo para levar o pão para a família. Tem gente que não gosta de pobre, de andar no meio do povo. Tem gente que abraça o povo e depois o vomita ao chegar em seus lares.

Na política é assim, bando de podres e safados, salvo raras exceções. Gente que passa longe de ser um humano voltado ao bem. Bóris errou em pedir desculpas aos garis pela TV, deveria ter ido até eles, afim de conhecer a vida e o sofrimento desta gente que sempre se mostra muito humanitária. E estando junto deles, aí sim pedir a honra da desculpa, seria lindo. O que faltou no Boris? O que ele falou não é nada perto de tudo que a sociedade fala de si própria.

Posted in: Audiencia E TV